Home | A Clínica | Dra. Juliana Zochetti | Profissionais | Especialidades | Parcerias | Artigos | Eventos | Contato

Artigos

A atuação da fisioterapia com os idosos

O fisioterapeuta trabalha com a prática de atividades físicas ou exercícios, sejam eles terapêuticos ou não. Infelizmente, a população em geral, apesar de conhecer e saber dos benefícios da atividade física, persiste no uso de tecnologias que criam uma verdadeira epidemia de sedentários, que atinge hoje cerca de 90% da população geral, sendo necessária uma verdadeira força tarefa de todos os profissionais de saúde, familiares e do próprio idoso para reduzir essa estatística alarmante.

Para os idosos, a atividade física atua de forma positiva, aumentando sua capacidade funcional, preservando a habilidade em executar tarefas da vida diária (autocuidado) e tarefas instrumentais de vida diária. Com o avançar da idade, observa-se a diminuição na velocidade de contração das fibras musculares, atrofia das fibras que compõem os músculos e conseqüente perda de massa muscular, e o exercício físico pode diminuir e retardar esse processo. O envelhecimento também implica, em maior ou menor grau, a perda de mineralização óssea (osteoporose). Embora exista uma causa intrínseca devida à própria senescência, a alimentação incorreta e sobretudo a falta de exercício físico aceleram e agravam o processo, tornando os ossos frágeis, levando ao risco ainda maior de fraturas e quedas. Em nível articular, as mudanças degenerativas e a falta de uso limitam a mobilidade. Sem um programa de exercícios adequado, é possível que algumas pessoas apresentam uma diminuição da amplitude articular. A diminuição dos movimentos articulares, sobretudo nos joelhos e nos quadris, levará a um caminhar instável e, portanto, a um maior risco de quedas e fraturas.

Para o grupo de idosos muito frágeis, os exercícios têm o objetivo de evitar a instalação de uma síndrome conhecida como Síndrome da Imobilidade, que é um dos grandes problemas que observamos na população dos “ muitos idosos” com mais de 80 anos. Exercícios simples de mudança de posicionamento e de incentivo e convites para sair do leito ou da cadeira de rodas evita que a síndrome se instale.

O fisioterapeuta deve atuar, também, como educador na orientação ao cuidar (formal ou informal) sobre o tipo de auxílio que deve oferecer ao idoso, sem que venha a sofrer sobrecarga em função de uma manipulação repetitiva, gerando prejuízos para o idoso e estresse ao cuidador. Outro aspecto importante é que a atividade física afasta o idoso de quadros depressivos, provocados muitas vezes pelo isolamento. A prática de uma atividade física faz com que a atenção aos seus problemas seja deixada de lado e, às vezes, que estes sejam até esquecidos. Ao se envolverem em outras atividades, nesse caso esportivas, passam a considera-lãs uma prioridade, afastando assim pensamentos negativos, queixas, dores e até mesmo doenças.


Rua Manoel Bandeira, 190, Vila Liberdade, Jundiaí - SP | Fones: 11 2816-3316 | 3963-2025